quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

GETTING TOGETHER

Como talvez alguns de vocês saibam, eu trabalho em turismo numa das áreas mais interessantes, dinâmicas e essenciais para a economia do nosso país; o incoming. Ou seja, a "importação" de turistas para Portugal (em particular no segmento de grupos, incentivos e conferências), e aos quais permitimos o acesso a experiências ao nível do melhor que fazemos e temos para oferecer.

Vem isto a propósito de duas ou três coisas que se relacionam; a primeira tem a ver com o post do Luis Cabeçadas e da sua indignação em relação ao que se está a passar com o desparecimento do nosso "património" e claro, do meu comentário a esse post.

Continuei a pensar um bocadinho mais neste assunto - que é um problema com o qual me deparo diárimente - e decidi então partilhar com vocês a minha preocupação para que possam compreender quão abrangente ele é.

Uma das minhas funções - depois de construído e aprovados os traços gerais do programa - é receber em Lisboa os clientes corporate que vêm em "visita de inspecção". É inegável; russos, brasileiros, noruegueses, ingleses... todos adoram Lisboa! É bom. De facto são poucas as cidades capitais que reunem as caracteristicas da nossa seja em termos geográficos, climatéricos, históricos e até sociais. Gosto de lhe chamar (reunindo a margem sul, Sintra e Costa do Estoril), "a unique city resort".

E ainda por cima, inegávelmente, os portugueses recebem bem!

Para além destes aspectos, ficam positivamente surpreendidos com a qualidade das nossas estradas e a funcionalidade da via verde, com a integração do Parque das Nações na vida da cidade em apenas meia duzia de anos e de outras "coisas modernas" que encontram aqui e ali.
Jantar no Mosteiro dos Jerónimos

A existência de infraestruturas fantásticas para a realização dos seus eventos (Convento do Beato, Museu da Electricidade, Museu dos Coches, Palácios e outros venues de todos os tamanhos e feitios, Mosteiro dos Jerónimos - onde organizei um jantar para 1700 pessoas nos claustros, YES!), bem equipados Audiórios e Salas Multiusos, empresas de qualidade a operar em actividades outdoor, dos jeeps aos barcos á vela, empresas fornecedoras de equipamento audiovisual, bons artistas na animação, uma excelente oferta de restauração - a gastronomia e os vinhos ocupam claramente um lugar de destaque na memória de quem nos visita - um parque hoteleiro referencial na Europa e claro, a grande capacidade que empresas como aquela em trabalho têm para coordenar tudo isto e muito mais (!) fazem com que Lisboa se encontre a nível mundial no top 10 das principais organizadoras de eventos. Orgulhosos? Eu tambem!
Lisboa, uma luz única

Mas... voltemos ao inicio. A visita de inspecção! Ao "passear" pela cidade real é que as coisas mudam. Custou-me um dia ouvir um dinamarquês - em pleno Bairro Alto - dizer-me que Lisboa se parecia com Havana. Pela degradação fisica, claro. Custa-me de cada vez que entro na Brasileira, ouvir um austríaco (onde possívelmente existem os mais bem conservados "cafés") dizer que "...este desleixo nunca acontecería no meu país...", custa-me ouvir uma inglesa dizer que não compreende a falta de policiamento e a facilidade com que nós assumimos os grafittis terroristas por toda a cidade, custa-me ouvir um sueco perguntar-me onde é que nós compramos comida (ou discos!), ou qualquer outra coisa, se tirando algumas zonas tipo Chiado ou Avª da Liberdade ou uma ou outra rua sobrevivente (tipo Guerra Junqueiro) não se vê comércio mas sim bancos, bancos e mais bancos... No shopping, digo eu a um tipo que nunca se incomodou de toda a vida - mesmo com temperaturas negativas dias a fio - de ir comprar o pão á padaria da esquina. É claro que ele não compreende e isto não é desenvolvimento!

E os prédios sujos e a cair, tapados com outdoors gigantescos para disfarçar a podridão?
O que dizer a um brasileiro - quando me lembra a decisão da prefeitura de São Paulo em relação á publicidade - que esses prédios unicos e lindos (séc. XIX, art deco e alguns Prémio Valmor!) e que são uma parte fundamental e do nosso património estão só á espera de cair para depois se poder erguer um moderno prédio envidraçado? Cubro-me de vergonha é o que vos digo.

E a vergonha é tão maior quanto as dificuldades que o IPPAR e outros organismos que tutelam a "renovação" da cidade impõe aos empresários que se propõem transformar um velho edificio num Hotel por exemplo... São tantas as dificuldade, os entraves e a inflacção dos orçamentos que muitas vezes desistem e preferem esperar que em vez de voltar a colocar todas aquelas cantarias no lugar e devolver á cidade uma fachada (com um interior moderno) o prédio caia e depois se faça um novo! Já disse! (E nem sequer falei dos contentores eheheheheheh)

Ainda por tudo isto, recordo que está a decorrer a BTL, Bolsa de Turismo de Lisboa.
A relação deste evento com tudo isto é o convivio!

TROUILLARD, Champagne by Stefano Saviotti

Ontem aconteceu mais uma champagne party organizada pelos meus amigos dos Hoteis Dom Pedro, no BBC. Mega sucesso! Para além dos momentos altos conseguidos em feiras internacionais, esta é uma das melhores oportunidades do ano de juntar o trade, um grupo homogéneo e perfeitamente identificado de centenas de profissionais de turismo que através da sua profissão - ao longo dos anos - se tornaram amigos. É curioso, de há quase 20 anos a esta parte, os meus melhores amigos são meus parceiros de negócio...

A festa continua hoje! Esta noite acontece o jantar anual dos antigos alunos de Gestão Hoteleira da Universidade Internacional. (O "nosso" DNA ainda por lá andou mas afastou-se para outros estudos! Não te resta nenhum bicho da hotelaria e turismo, Duarte?!). Todos os anos aparecem mais de 100. Mais um momento único de convivio e partilha de histórias que parecem tiradas de livros de BD!!! Termino com esta informação que tambem é uma pergunta:

Para quando o próximo jantar dos FILIPADOS? As fotos que vi aqui ao lado mostram que foram um sucesso! Tanto eu como outros Filipados que só entraram neste filme mais tarde gostavam de beber uns copos com vocês! Já que o "passeio de bike" não reuniu muitoas adeptos rsrsrsrs, para quando os copos meus amigos?!

Abraços,
Luis Moura

13 comentários:

Gonzoc disse...

EL Mourex,

estou contigo! Jantarada já!

g;)

Margarida Mira disse...

Olá Luís,
Isto é que foi teclar!
Também eu adoro Lisboa e custa-me imenso ver como às vezes a encontramos tão maltratada.
E também eu gostava de alinhar num próximo jantar de Filipados. Como já te disse uma vez, tu com a experiência que tens na organização de Grandes Eventos poderias também pensar neste.
Beijinhos
Margarida

EL MOUREX disse...

Olá Margarida!

Ontem estava com uma ressaca monstra - depois da tal festa no BBC - por isso, como não estava mesmo nada inspirado para trabalhar, liguei o cérebro a vaguear por aqui.

Eu organizar um jantar? E porque não...?! Queres ser a minha "assistenta"? Vamos ver qual é o quorum e depois pensamos nisso OK?

bJS. Luis

Pedro Mega disse...

Já lá estamos...até podemos ir de btt...para não termos problemas a voltar para casa....

Duarte Nunes de Almeida disse...

Vamos embora Luis! Conheço bem (é meu amigo)o Miguel Vargas, um dos donos do Restaurante "Mercearia Vencedora" no Jardim do Tabaco. Eles fazem uns pacotes porreiros para Grupos. Tem é de ser para dia de semana. Pensem nisso. Abraço para o Pedro Mega.

better65 disse...

E ouvir um grupo de americanos perguntar se o CCB é uma prisão? Ainda por cima mesmo ao lado dos Jerónimos...

Pedro Mega disse...

Abraço para ti também, Duarte

EL MOUREX disse...

Muito bom! Começa a haver quorum!!! Como é que trataram das inscrições nos outros jantares? Se o modelo funcionou (...) querem aplicá-lo de novo? É boa ideia a Mercearia Vencedora; talvez o Restaurante do Jardim do Tabaco seja o mais interessante não?
Duarte, não respondeste á minha pergunta. Não te ficou nada da hotelaria no coração?! Abraços, Luis

Duarte Nunes de Almeida disse...

Grande Moura. Se comprares a minha Bibliografia, à venda em Exclusivo nas Lojas FNAC em França, pensa fazer-se uma tradução para Português mas não antes de 2022, constatarás que nos Hoteis gosto de ser Turista e não Gestor. Essa foi a razão pela qual abandonei precocemente Glion sur Montreux na Suiça, e fui para Londres tirar o curso de Gestão, muito embora o que faço hoje em dia nada tem que ver com isso (Psicoterapia). Ai está a resposta à tua singela e pertinente pergunta que desgraçadamente se me olvidou de responder. Penso que és a pessoa ideal para tratar da organização deste evento, Fá-lo-às com uma perna às costas, mas durante o jantar, convêm tirá-la de lá por uma questão de conforto. Abraço.

Vítor Borges disse...

Depois de vários meses por aqui a ler o que os Filipados têm para partilhar, também eu gostava muito de participar num destes, já famosos, jantares.

Ahhh e também eu adoro Lisboa, uma paixão. Bem como a fotografia. As duas juntas são um encanto ou será encantamento!?

http://olhares.aeiou.pt/telhados_de_lisboa_foto1766898.html

EL MOUREX disse...

OK Duarte, vamos começar a planear o jantar dos Filipados. Mais dia menos dia ligarei para ti; preciso de algum tipo de apoio e informações sobre o "histórico".
Obrigado por me responderes; sim procurarei o livro! Grande abraço,
LM

paulo sendim disse...

Caros amigos,

desta vez falharei a jantarada.

um abraço

paulo sendim

EL MOUREX disse...

Mas como, se ainda não há data?!
Grande Sen; sempre um passo á frente eheheheh!