sábado, 21 de julho de 2007

Voos em Prosa

Seguindo o exemplo do nosso colega João Marchante, aqui vai a minha recomendação para uma leitura de Verão:
“A Minha Andorinha” do Miguel Esteves Cardoso ainda me trás um sorriso aos lábios, e já o li vão mais de três semanas. Trata-se de uma compilação de crónicas, muito ao seu estilo irónico e perspicaz, dos nossos costumes, cultura, e linguagem. À urgência da prosa das suas obras anteriores, o MEC trás agora um poder de reflexão dificil de resistir. E voamos com ele…

“Nunca é bom sinal começar a reparar nos passarinhos. Mas as andorinhas são um caso especial. Há ali uma identidade trocada qualquer; um desenho cheio e perfeito, a tinta-da-china, que pareceu gatafunho a quem não tinha tempo a perder com complicações de uma só cor: preto, branco e azul. E cada preto, cada branco e cada azul, claro ou escuro ou cinzento, conforme a andorinha no momento em que se vê-e quando se diz, sempre muito antes de se ver. Faz o quê? Voa. Voa apesar de tudo. E, apesar de tudo, voa.”

Excerto do Prefácio de A Minha Andorinha, Miguel Esteves Cardoso

1 comentário:

João Marchante disse...

Acabei de o comprar, seguindo este teu sábio conselho; e, até já escrevi um postalito lá meu blogue sobre o assunto, fazendo a ponte com outro tema redentor. Obrigado.