quarta-feira, 11 de julho de 2007

E que tal um geladinho?

Numa fugidinha rápida a Portugal não resisti aos sabores da Surf.
Era quase meia-noite quando me sentei numa daquelas cadeiras em forma de gelado (porque sentar-me nas novas não tinha o mesmo “sabor”) e comi um tremendo gelado de caramelo com rimas de chantilly.
Se não fossem os já quase 30 anos que tenho em cima dos 12 com que aí comi o meu primeiro gelado , eu quase diria que estava em 1978 na inauguração da Surf. À parte de alguns novos sabores e da actualização da decoração, as cores, os sons, e o aroma inconfundivel da geladaria mantem-se.

Ainda me lembro das amostras de gelados que davam à malta para nos prender pelas glandulas gustativas. Eu fui uma das vitimas. Semanais!
Até fiz de figurante num anúncio qualquer filmado à porta da Surf, só pelo prazer de me sentar a tarde toda na esplanada a comer gelados de caramelo, uns atrás dos outros. Sim, porque senão iam-se derretendo e …parecia mal.
Eu creio que nunca vi esse anúncio na televisão, mas recordo-me que envolvia um calhambeque dos anos vinte que parava em frente da esplanada e do qual emergia com um delicado movimento de pernas esguias uma modelo lindíssima.
Será que era para algum anúncio à Loja das Meias? Nunca cheguei a saber. O doce inconfundivel do caramelo, da bolacha baunilha, e daquele chantilly- leve, leve como claras em castelo- eram a prioridade.

A ultima vez que me sentei à sombra dum guarda sol da Surf foi no 12º ano, num dia em que me baldei a Quimica. Ricas tardes! Mas agora que lhe ganhei o gosto, estou lá caídinha pró ano. Entretanto, vou-me contentando com uns gelados do Cold Stone na 6ª Avenida em New York. São bons mas…a Surf…

2 comentários:

Anónimo disse...

Infelizmente não me lembro do anúncio, o que é imperdoável ;-). Mas o sabor dos gelados da Surf e a minha primeira visita à sexta avenida, em 1984, são prazeres inesquecíveis. Beijos do Pedro Vozone

João Marchante disse...

Um saboroso post!